Total de visualizações de página

domingo, 12 de junho de 2011

TÃO SIMPLES O AMOR(?)



Tão simples de querer,
E que por vezes, faz sofrer...
Que sentimento é esse difícil de entender?

Sempre houve (entre nós) tanta ternura,
Sua paz e alegria serena, inspirou candura,
E o ti querer, e não querer , em mim perdura.

Que lembrar é esse tão prazeroso?
Recordar é viver tudo novamente... Tão saudoso.
A beleza do eterno, do sempre, do tudo, tão gostoso,

O amor nunca foi ausente, na verdade!
Doei meu coração inteiro, sem ser metade
Oferecendo-te, o mais de mim: indizível vontade.

                                                                          Marly Bastos

5 comentários:

  1. Lindo poema, querida.

    Acredito que o amor seja simples, mas tem quem o complique por confundir esse sentimento com qualquer outra coisa que não tem nada a ver com amor.

    Beijos e ótima semana.

    ResponderExcluir
  2. Doar por inteiro.
    Lindo!
    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  3. Obriga pela visita, e gentil comentário.
    Bonito poema!
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Oi. Estive dando uma olhada por aqui. Muito legal. Gostei. Apareça por la. Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde querida Marly,

    Lindo seu poema, também acho que o amor seja simples... E acredito também que ele seja essencial em nossa vida.

    Amei

    Beijos e uma semana cheia de amor pra você.

    Ani

    ResponderExcluir

Se leu-me até aqui, deixe uma palavreseadinha aqui [blogueiros adoram comentários rsrs]