Total de visualizações de página

sábado, 10 de novembro de 2012

AH, ESSA MINHA AUSÊNCIA TUA [É um poema extenso, mas vale à pena ler! Rsrsrsrs]



Queria tanto fazer versos alegres!
Desses que fala de flores coloridas, céu azul, borboletas,
Crianças brincando, passarinhos, doces paragens, infância feliz,
Amor correspondido... Queria falar de você!
Minhas palavras não vão longe...
Pois começo a derramar teu nome pelos meus olhos,
Que lentamente escorrem face abaixo e amargam meu paladar.
[Seu nome não é doce!].
Queria tanto fazer versos alegres como músicas...
Harmonicamente chamo-te pelo avesso,
Com passos dançantes, visito teu reverso,
Procuro teus acordes e não encontro minhas notas...
[Nem minha inspiração]
Dedilho tuas entranhas e não encontro meus ecos.
Teu direito não me tem, teu contrário me esqueceu...
[Tudo está tão sem rimas]

Queria fazer versos alegres!
Daqueles que nos fazem ver “passarinhos verdes”,
“lamber lixa de parede”
“viajar na maionese”,
“pisar no tomate”,
Tomar “chá de rosa azul,
E ter “olhar cor de rosa”.
Queria versos que fluíssem com lembranças do amor de outrora,
Dos planos futuros, das brincadeiras de roda, da serenidade da face,
Da emoção da prosa em verso que fazias e declamava aos meus ouvidos,
Da admiração dos teus olhos ao ver-me quase nua e quase tua.

Eu faria versos alegres...
Se eu lembrasse tão somente do perfume das rosas que me ofertaste,
Porém, lembro-me, tão somente que tentei preservar-lhes a vida ao máximo, 
aparando seus talos já mortos, prolongando-lhes o vigor.
E somente as jogava fora quando já haviam caído todas as pétalas.
Hoje estou como elas, só talos.  Todavia, eu me regenero,
Mesmo que o ciclo que tenho que percorrer seja longo.

Eu faria versos alegre se não me sentisse
Lesada pelos beijos que não me deste,
Pelo afago que não senti,
Pelas tuas palavras sussurradas que não chegaram aos meus ouvidos,
Pela ausência do teu riso que alegrava meu coração.
Você roubou-me tua presença...

Eu farei de novo versos alegres quando a minha carência tua,
Já não mais houver... Ela um dia será suprida, pois nada é pra sempre.
[Pois pra sempre não existe...].
Essa ausência,
Deve durar o tempo em que for alimentada pela minha alma distraída,
Depois ela, a ausência, irá ao seu encontro, e aí, não será mais minha.
[Porém tua...]

Marly Bastos

54 comentários:

  1. Na vida, também é preciso fazer versos não alegres...
    E ainda bem que para sempre não existe.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Ana, me ensinaram que para sempre, só existe enquanto for conveniente e que a Terra do Nunca, nunca existiu... Triste isso kkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  2. Marly, sabe quando você se identifica tanto com um poema que lê, que você pensa: "isso foi feito pra mim"? Pois é, foi justamente o que pensei/senti agora.
    Nossa, é até dificil de explicar. Versos alegres... Teria um monte deles aqui comigo também. Mas a ausência não deixou. Também estou louco pra me distrair até que essa ausência não seja mais minha.

    Obrigado por esse poema, tão belo na sua melancolia.
    Bom domingo. Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angelus, então demos Vivas aos versos tristes, enquanto o alegre não é possível! Creio que a Rosa e o Cravo se deram melhor, ali debaixo da sacada,

      Excluir
  3. Marly, maravilhosa essa postagem. Inicialmente triste, todavia repleta de realidade. Finalmente bastante objetiva na conclusão. De tanto "martelar" essas idéias sua alma deixará de ser distraída e tudo se normalizará.
    Que assim seja. Você é um amor de pessoa.
    Beijo com carinho
    Manoel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho uma alma distraída, mas não sou Amélia né Manoel??? Obrigada pelo "amor de pessoa" vc também o é[um fofo, se não se importar].

      Excluir
  4. Ah, como o poeta gostaria de falar só de coisas alegres, como se tudo funcionasse direitinho, que todo os amores fossem possíveis. Impossível infelizmente, xexudinha... mas vamos levando. Beijos mil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É xexudo,a gente vai levando entre risos e prantos! Viver é isso né mesmo Carlinhos?

      Excluir
  5. Bom domingo querida amiga Marly... puxa faz um tempão que não nos vemos... lendo teu poema fico imaginando com meus botões quem foi que roubou a tua felicidade... ou serão apenas versos? aposto que não, tem muita emoção nas palavras e nas rimas nem sempre bem rimadas, kkkk. Sabe, quando mais procuro te entender descubro que nada sei... saudades... estive bem pertinho de Brasília mas o calor me assustou...quem sabe em outras viagens passo pela tua cidade.
    Um grande beijo, eu e Bolinha te desejamos uma ótima e abençoada semana. Fique com DEUS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Germano querido,
      Mulher não foi criada pra ser entendida e sim compreendida!Isso basta...
      Esse poema estava engavetado já a um bocado de tempo e deu tempo essa minha ausência, ser agora dele... I'm happy!
      E Brasília estava mesmo um forno, até pensei que estava no fogacho da menopausa, mas o médico me garantiu que todo mundo estava sentindo o mesmo calor absurdo...
      Quem sabe da outra vez que por aqui estiver, Brasília te brindará com um clima ameno e uma visão cheia de cores e flores.
      Bjktas doces pra você e um afago bem gostoso nessa fofura do Bolinha!

      Excluir
  6. Marly, tem razão, valeu a pena ler até a última linha. Quem dera a vida fosse assim, escrita por versos alegres, um mundo cor-de-rosa que tiramos dos contos de fada onde todos foram felizes para sempre. A ausência é sem dúvida doída, amarga, porém transitória quando se está disposto a caminhar para frente. Só assim será possível um novo encontro (ou reencontro). Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia num disse que valia a pena? Pois ainda bem que tudo é transitório e o que fica, com o tempo é transformado.
      bjkas

      Excluir
  7. Minha querida amiga Marly, não se preocupe em fazer versos alegres. A sua poesia é encantadora. Repare que a tristeza tem a sua beleza e está bem presente no seu poema.
    O fado é triste, por isso é que ele existe.
    Muito bom o seu post.
    Beijinho amigo e uma flor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tecas, o fato tem realmente uma beleza triste que rasga a alma. Obrigada pela presença e uma beijoka doce pra vc.

      Excluir
  8. Sempre com lindas poesias Srta! Bom domingo, abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vc sempre gentil Ives! Bjks doce e bom domingo

      Excluir
  9. oi minha amiga,

    as vezes o cor de rosa do meu mundo,
    ganha reflexos de outras cores,
    mas mesmo acinzentado,procuro enxergar o brilho do prata,
    o reluzir do prateado que se acomodam dentro de um cinza calado e
    sem graça,
    maneiras de ver a vida,querida,
    acho que de tanto apanhar,hoje prefiro sorrir para o mundo,
    mesmo que ele não tenha a minha cor preferida...

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há um refrão de uma música folclórica que diz:"Trupica e cai, levanta e sai, maruco oi ai..."
      Acho que a vida é assim, entre tropeções, quedas, levantar e seguir em frente, afinal a vida não para. E nem as nuances são as mesmas, assim como o céu não é todo dia azul. Bjks doces

      Excluir
  10. Olá Marly,

    Mesmo com os versos tristes, tua poesia é sempre muito bela.
    Sua forma de escrever é magistral, única, perfeita.
    A vida é assim...Amanhã é outro dia! A gente cai mais levanta...
    A Ausência o tempo cuida, mas por vezes os resultados nem sempre são imediatos, então é bola pra frente , por que sempre há uma saída.

    Beijos e ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Smareis, vc sempre linda na sua maneira de comentar. Realmente, a ausência o tempo cuida, pior é quando descobrimos que o tempo cuidou e cultivou bem demais e nada passou...
      Entre quedas e levantar existe o sacudir da poeira né? bjks doces

      Excluir
  11. Luciana Souza deixou um novo comentário em 11 de novembro 2012[Lu não sei pq não apareceu aqui, eu copiei e colei do email tá?]

    Oi Marly
    Lindo poema, como sempre, adorei o final. A personagem deu a volta por cima, pelo menos foi o que eu entendi kkkkkkk.
    Bjão queridona. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sempre entende direitinho Lu! Foi a intenção fazer um poema progressão.
      bjks doces e uma boa semana

      Excluir

  12. Marly querida,

    Sempre valerá a pena ler seus textos e poesias, independente do tamanho dos mesmos. Você é extraordinária na arte da escrita.
    Não conhecia a expressão “lamber lixa de parede” (rsrs).
    Creio que os versos que mais nos tocam são aqueles que expressam tristeza e melancolia, pois sempre nos identificamos com eles em alguma passagem de nossa vida.
    Certas ausências são mesmo doídas, mas o tempo tudo transforma. Dureza é quando ela muda de lado, né não? Que não sejamos nós a sentir o troco da vida (rsrs).
    Adorei.

    Cadê a Rebekinha? Sumiu!!!! (rsrs).

    Beijão, com carinho e admiração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vera querida, obrigada pela por incentivar a minha alma prolixa! Pois é, a paixão faz a gente até lamber lixa de parede e é até bom, faz aquela limpeza que o "limpa língua não faz." Troco da vida, so se for em dose dupla de amor kkkkkkkkkkkkkk. E é verdade, versos tristes sempre nos remetem a alguma lembrança nossa.
      A Rebeca está num dias conturbados, fim de semestre e tem que tirar boas notas na faculdade, então a menina está entre livros e arcadas dentárias. Quer ser uma boa dentista, já que frustrou os planos de ser uma boa médica. Logo aparece.
      bjks doces

      Excluir
  13. Querida amiga Marly !!!

    Tem um selinho em meu Blog. te esperando.
    Se ainda não pegou, pegue. É uma cortesia
    Do Blog. de “Poesias do Poeta Cigano”.
    Sinto-me honrado em tê-la como amiga e
    Seguidora.
    Beijos de luz !!!

    POETA CIGANO – 12/11/2012
    http://carlosrimolo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Lili,

    Tudo bem? Não achei extenso, mas o posicionamento de quem sente o destino, não como perfeito, mas real. Amar significa também entender versos tristes e pensar que nem sempre o arco-iris virá.

    Beijos e aproveite o feriado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Lu, nem sempre no amor é possível tomar "chá de rosa azul". Mas fica sempre a ilusão de que lá na frente podemos tocar o arco-íris que nos parece tão longe agora.
      bjkas doces e um bom feriadão pra ti também

      Excluir
  15. Você faz versos lindos minha querida, sejam eles alegres ou nem tanto.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é que tem sensibilidade para ler Ani. Bjks doces pra vc,

      Excluir
  16. [Eu farei de novo versos alegres quando a minha carência tua, já não mais houver...]
    Muito massa!!
    Vivendo e renovando o coração. Beijos docíssimos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vida e os sentimentos tem essa coisa de renovar, transmutar e crescer em aprendizado.
      bjks doces

      Excluir
  17. Não é nada fácil fazer versos alegres sentindo a ausência de alguém.
    Quande e se ela acabar, porque alguém voltou ou esqueceu, as palavras irão brincar nas tuas mãos e os teus olhos vão fazê-las sorrir.
    Excelente poema. Grande, é certo, mas mesmo assim lê-se nu mfôlego.
    Marly, tem uma boa semana.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Nilson, as meninas dos meus olhos nunca deixam de dançar diante da vida. Vou ele ou não rsrsrsr estarei firme e forte!
      bjks doces

      Excluir
  18. Não temos como fazer versos alegres quando sangra o coração. Mas, ficou tão lindo!

    Beijos.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Luzia, se a inspiração é feito do que o coração está cheio. Bjkassssss

      Excluir
  19. Marly, querida to passando rapidinho só pra te convidar a ir ao Retratos em Degradê, pq eu fiz uma brincadeirinha lá com nossos pézinhos kkkk espero que goste. E se naum gostar tb, pode falar!

    Depois volto com calma pra ler esse poema, pq ele precisa de atenção.

    bacios, amada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vou lá Lu, quero ver a brincadeira de perto. Bjks

      Excluir
  20. Minha querida amiga,

    Teu verso nunca é longo, teu verso é sempre lindo...e viajo por tuas palavras, pelas carências todas e me encontro na esquina de tua ausência...aquela que não persistirá para sempre (sempre não existe, não é mesmo?)...e me quedo em teu momento e sinto as estrelas em tuas palavras e em tua alma.
    Bjssssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leninha, você é de uma fofura que me encanta! Seus comentários são quase continuação dos meus versos. Linda você.
      Bjks doces e um bom feriado.

      Excluir
  21. Espero que vc ainda descubra uma boa fonte de poesias mais alegres. e que se um dia derramar pelos olhos o nome de alguém, que seja de felicidade.

    ResponderExcluir
  22. Alê, eu também espero que um dia todas as minhas lágrimas sejam de emoção. Vou arrumar uma fonte mais inspiradora... Rsrsrsrs
    Bjkas doces e bom feriado

    ResponderExcluir
  23. Boa tarde!
    Muito triste...mas extremamente emocionante.
    Um belo trabalho.
    Parabens
    Sinval

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Sinval, nem era pra ser muito triste, mas parece que carreguei na melancolia né??
      bjks doces

      Excluir
  24. Amiga infelizmente nossas maiores inspirações são nos momentos difíceis. E graças a Deus que deles podemos tirar pérolas maravilhosas como esta. Pobre é aquele que nunca amou e que nunca sofreu por amor.
    Um xero negona no teu ♥ e que Deus te abençoe, te ilumine e te inspire...

    ResponderExcluir
  25. Titia, concordo contigo, pobre é aquele que nunca deixou sangrar no peito esse danado coração, ou quem nunca se permitiu derramar dos olhos a dor do amor.
    Beijokas doces e um feriado mais que merecido né??

    ResponderExcluir
  26. Ly,

    qualquer elogio seria redundância. Belissíssimo (superlativo do superlativo, licença poética).

    Notei que tua veia psicanalítica tem alcançado mais fundo dentro de nós, bonito isso.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  27. Seria belississíssimo?[acho que o Google não entende de licença poética rsrsrs ele sublinhou de vermelho]
    Eu ando meio neurótica por Freud, analiso até um arroto escapulido [não meu, pois damas não fazem isso]
    Abraço Will

    ResponderExcluir
  28. Minha querida

    Por vezes é na carência que a nossa inspiração está mais à flor da pele, porque estamos magoadas.
    Espero que um dia os teus poemas tenham pétalas de rosas, mas acredita que não serão mais belos, serão apenas mais serenos.
    Sempre admirando-te.


    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  29. Tudo tem um tempo na vida, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  30. Oi, querida

    Não tinha lido essa postagem. Que coisa! Nunca imagino que esteja dentro de suas palavras, eis que sabe usá-las, para a tristeza e para a alegria, com a igual maestria. Temos momentos de recolhimento, de afastamento, de lágrimas. E aqueles outros, dos quais por vezes nos esquecemos, cheios de risos. E quem ama a escrita passeia por todos os mundos, usando a vivência e a sensibilidade. Muito belo! Bjs.

    ResponderExcluir
  31. Olá,Marly.
    Lindo poema; quando passamos por uma desilusão ou por um rompimento de um relacionamento que nos parecia sólido, passamos a enxergar o mundo com olhos tristes, que tiram a cor de tudo.
    Com tempo, vontade e perseverança, passamo a a enxergar as cores do mundo novamente.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  32. Nem só de versos alegres se faz poemas... há que se ter uns poemas tristes para sabermos o sabor dos demais.
    Eu acho que a tristeza tem lá seu bocado de beleza...
    Um grande abraço, minha FLOR!!!!

    ResponderExcluir
  33. Um jeito diferente de exorcizar sentimentos,pois pra mim pareceu-me isto.Gostei, nao foi "poluido" pela dor da despedida,mesmo grande foi leve de ser lido!
    bjinhos!

    ResponderExcluir

Se leu-me até aqui, deixe uma palavreseadinha aqui [blogueiros adoram comentários rsrs]