Total de visualizações de página

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

QUE ?...


Que batida é essa do meu coração?
Bate bate, ferindo a emoção.

Que amor é esse que me suspira o ser?
Haaaaah, é saudade, haimmm, é doer! 

Que saudade é essa, que me devora o imo?
Mexe e remexe a vontade, misturando o quimo.

Que lágrimas são essas paridas na dor?
Sempre há desencontros nas histórias de amor.

Que ausência é essa que meu coração sente?
Parece pra sempre essa falta presente.

Que poesia é essa que vem de repente?
É paixão se fazendo verso, derramando a gente!

Marly Bastos

27 comentários:

  1. É dor pungente, minha querida Marly.
    Como dói, só o tempo, faz serenar...

    Carinhoso beijinho,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  2. E de derramar e amar a gente vai vivendo... Até quando né amiga? Putz!! Gr. Bj. nesse seu mexe e remexe! rsrsr

    ResponderExcluir
  3. Oi,Marly!!
    É dor que dói,fere e muiiiitoooooooooo!!
    Mas, o tempo se encarrega de tudo!!!!
    Beijos e boa semana.
    Soninha.

    ResponderExcluir
  4. Prazer em conhecer seu blog.
    Abraços,

    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  5. Que linda poesia, Marly!
    Linda, linda!
    E obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  6. Linda, linda poesia!!
    Adorei!!
    Bjinhos

    ResponderExcluir
  7. Que lágrimas são essas paridas na dor?
    Sempre há desencontros nas histórias de amor.
    Minha amiga seu poema é simplesmente lindo.
    Um lindo e triste poetar aquele poema escrito nas madrugados olhando as estrelas no céu a brilhar.
    Lindo lindo!!!
    Uma feliz semana beijos,Evanir.

    ResponderExcluir
  8. Que maravilha de poema!!! Saiu do âmago essa hein querida!? Dói mesmo isso. Que bom se tivesse um botãozinho pra gente poder desligar...
    Linda, uma semana cheia de alegrias pra ti! Bjão!

    ResponderExcluir
  9. Minha bochechinha rosada !!!!!
    Vc sempre trazendo seu universo da escrita para nosso mundo poético,fazendo uma viagem de mãos dadas com o amor...
    Bjsssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  10. Querida,

    Que versos lindos são esses? E a figura irradiando alegria? Fico encantada com versos que rimam emoção.

    Beijossssssssss!

    Lu

    ResponderExcluir
  11. Marly... como sempre, intensa e emotiva. À minha maneira. Adorei. Beijo do coração.
    PS.- Respondendo ao seu comentário na "Mulher Fatal", de facto ter uma vida dupla, é uma via de dois sentidos, mas também é certo que existe em muito maior profusão do que seria desejável. São as sonsas! kkkkkk :)

    ResponderExcluir
  12. Hunnn...isso é dor de saudade....srsrsr...que chega de repente, trazendo inquietação no coração da gente. É suspiro arrancado do profundo de nossa alma, é também nossa mente pedindo calma. É amor bandido ferindo sem dó, mas nessa sintonia sei que não estou só...lindo poema nesse amanhecer, uma doçura de se ler.

    ResponderExcluir
  13. A poesia que vem de repente, é a poesia mais sincera minha poetisa favorita.
    Lembro que uma parceira comentou neste meu último post sobre posts que há gente que faz qualquer coisa virar poesia e saem umas coisas toscas. rs.
    Felizmente, não é o seu caso.

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde, amiga. Adorei a sua poesia falando de dor, amor, momentos. A paixão é assim, fere, aprisiona, liberta, conduz, reduz e quando não dá mais, faz doer tão forte que pensamos perecer para sempre.
    Ainda bem que para tudo há uma saída, para as tristezas, os desamores, os desencontros.
    Enquanto o coração bate, vivamos a essência da paixão.
    Beijos na alma e fique na paz!

    ResponderExcluir
  15. Marly

    Amiga gostaria de lhe pedir para me adicionar a sua lista de seguidores.Pois tive que apagar todo o meu blog, peguei um código com vírus e eu não sabia. Lutei para encontrar ai tive que deletar para não danificar o meu computador e não passar para as outros pessoas. tudo.Chorei de raiva diante do pc. Conto com sua colaboração em me seguir novamente. Um beijo e muito grata.
    Ana Brisa

    ResponderExcluir
  16. Que poesia mais linda, Marly!
    Toda cadenciada.
    ADOREI!

    Beijão.

    ResponderExcluir
  17. Seus versos são canção. E cheios de vida, como a autora. A semente que chega de repente deve ser logo plantada. Bjs.

    ResponderExcluir
  18. Bate, bate coracao! que ritmica y hermosa! Me encantó, adorei.

    ResponderExcluir
  19. Olá, parabéns pelo seu blog!
    Se puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  20. É a força do amor transformando palavras em canções, lindas canções!

    ResponderExcluir
  21. Bom dia minha fofura de amiga! Já comentei esse post, mas só vim encher o saco...kkkkkkkkkkkk!!! Obrigada pela visita. Ah...Esse teu cabelo é tudo de lindo! Tem um trem interessante no Confissionarium...rss. Beijo linda!

    ResponderExcluir
  22. Olá Marly,
    muito interessante esse poema, mas transmitindo saudade!
    Bjs

    ResponderExcluir
  23. Olá Marly, quero dizer que passei por aqui, tenho procurado blogs de qualidade para estar seguindo e aprendendo mais, e achei o seu, já estou por aqui. Se tiver um tempinho aguardo sua visita, será um prazer. bjs! Fernanda Oliveira
    http://nandamusicpoesia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Tens todas as respostas para suas perguntas, mas talvez várias perguntas para cada resposta. A vida poesia, o amor é poesia, saudade é poesia, mas poucas pessoas conseguem perceber isso.

    Um beijo.

    http://senhoritamoca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Olá, Marly.
    A inspiração,assim como o amor, não segue nenhuma regra, e aparece e some quando bem entende.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  26. Marly, uma delícia seu poema, rimas quase infantis, o que no entanto não tirou a beleza da postagem. Saudade é coisa tão intensa que só pode mesmo ser aliviada em verso e prosa...Um abraço!

    ResponderExcluir
  27. grato por suas palavras Marly!!!
    namastê!

    ResponderExcluir

Se leu-me até aqui, deixe uma palavreseadinha aqui [blogueiros adoram comentários rsrs]